• Cardiomed

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA NA COVID-19

Eventos anteriores em outros países já demonstraram que a violência doméstica aumenta durante e após crises, desastres de grandes proporções ou epidemias. Infelizmente os períodos de quarentena tendem a colocar mulheres que vivem relacionamentos abusivos sob maior risco e, dessa forma, há um aumento do padrão de violência doméstica de forma repetida por todo o mundo. Um dos trabalhos chega a descrever dados alarmantes, inclusive citando o Brasil e um possível aumento de 40 a 50% dos casos.

Evidências apontam que ao redor do mundo 1 em cada 3 mulheres sofreram violência por um parceiro íntimo ou violência sexual e estima-se que cerca de ⅓ dos feminicídios seja cometido pelo parceiro íntimo. Neste momento de quarentena alguns casos já vêm sendo descritos, mas acredita-se que os números sejam subnotificados. Ainda assim alguns autores consideram que ainda seja cedo para dizer que houve aumento desta taxa já impressionante. A violência contra crianças (seja física, emocional ou sexual) também ocorre em todo o mundo e estima-se que metade das crianças e adolescentes entre 2 e 17 anos sofreram com isso no último ano.


Fonte: Portal PEBMED


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo