POR QUE PACIENTES COM DEMÊNCIA SOFREM DIANTE DE MUDANÇAS

Maria del Carmen tinha 72 anos quando foi diagnosticada com Alzheimer. Antes disso, havia meses que a família observava episódios atípicos em seu comportamento comumente ativo, como repetições de perguntas, esquecimento de informações recentes e muita dificuldade de processar mudanças, fosse em tópicos de conversas, fosse se localizar em ambientes diferentes. A situação não é incomum entre os pacientes com algum tipo de demência. Uma pesquisa recente do Centro de Pesquisa Biomédica de Cambridge, apoiada pelo Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde e Cuidados, do Reino Unido, apontou o motivo por trás dessa dificuldade de processar e lidar com situações inesperadas: danos a células de uma área do cérebro conhecida como "rede de demanda múltipla'', que abriga a inteligência geral.

As diferentes lutas diante de mudanças são difíceis e causam angústia para todos os envolvidos. Se por um lado o paciente se sente desorientado, por outro a família e cuidadores precisam munir-se de paciência, para repetir as informações até que o cérebro perceba o que mudou, resultado que nem sempre é alcançado em estágios mais avançados da doença.


FONTE: UOL VIVA BEM


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo