top of page
  • Foto do escritorCardiomed

DESARME A BOMBA DA PRESSÃO ALTA

Desde a Roma antiga, a humanidade sabe da existência de um “pulso” na circulação sanguínea e de sua conexão com a saúde. Mas foi só na segunda metade do século 19 que o conceito de hipertensão primária — aquela que não é provocada por uma doença específica, e sim por um conjunto de fatores — foi cunhado pelo médico britânico Frederick Mohamed.

Mais de 150 anos depois de dar nome aos bois, a ciência já mapeou os estragos que ela faz, entendeu sua ligação com o estilo de vida e criou medicamentos para domá-la.

Silenciosa e por vezes difícil de controlar, a hipertensão é o fator de risco responsável pela maior porcentagem de mortes por problemas cardiovasculares, em especial infartos e acidentes vasculares cerebrais (AVCs).

Quando não são fatais, esses desfechos podem resultar em anos perdidos por incapacidade física. A pessoa sobrevive a um derrame, mas fica com sequelas que comprometem sua autonomia.


Fonte: VEJA SAÚDE



6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page