CHOCOLATE PODE ATÉ FAZER BEM AO CORAÇÃO, MAS...


O chocolate é rico em flavonoides, que têm efeito anti-inflamatório e antioxidante, ou seja, protege as células contra os efeitos dos radicais livres produzidos pelo organismo. O consumo também aumenta a função do óxido nítrico no nosso corpo, que reduz a pressão arterial e aumenta o fluxo vascular. "Tudo isso contribui para evitar a aterosclerose, que é a inflamação causada pelo acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias e dentro delas", explica Claudio Tinoco Mesquita, editor-chefe do IJCS, professor associado de medicina da UFF (Universidade Federal Fluminense) e coordenador do setor de medicina nuclear do Hospital Pró-Cardíaco, do Rio de Janeiro. Mas o grande problema do chocolate são as calorias, pois, para ser mais palatável, são acrescentados açúcar, leite e gordura em algumas formulações, podendo levar à obesidade, se consumido em excesso, aumentando o risco de doenças do coração. O mais adequado para reduzir os riscos é ingerir 45 gramas por semana, segundo artigo publicado no British Medical Journal, que avaliou 14 publicações sobre o assunto e estipulou uma meta válida, equilibrando benefício e quantidade.


Fonte: Revista Brasileira de Educação Médica.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo