top of page
  • Foto do escritorCardiomed

APERTO NO PEITO DENTRO DO AVIÃO? SAIBA O QUE FAZER

Em primeiro lugar, não há razão para pânico. Mas, assim como acontece com tudo que envolve o coração, a prevenção é – com o perdão da frase feita – o melhor remédio.

É que um evento cardíaco passível de ser socorrido na emergência de um hospital de referência, com uma equipe treinada e com os recursos adequados, pode ser fatal dentro de um avião.

Afinal, as soluções disponíveis na aeronave serão limitadas, e o tempo entre o início dos sintomas e a chegada dentro de um hospital pode atrasar muito – dependendo, claro, da localização do vôo e outros fatores decisivos para garantir um pouso fora do programado.

Segundo estudos da Universidade de Pittsburgh (EUA), publicados na revista científica JAMA, a cada 604 voos acontece uma emergência por causas variadas – ou seja, são 130 vítimas a cada um milhão de passageiros.

Mas o que fazer para não entrar para as estatísticas cardíacas, aparentemente ínfimas, mas que representarão 100% se você ou alguém de sua família for a vítima?É preciso ficar atento a sinais como: dor no peito (que pode irradiar para braço ou pescoço), sensação de enjoo ou azia, náusea, cansaço, taquicardia, entre outros. Se notar algo assim e não tiver entrado no avião ainda, então evite viajar.


Fonte: VEJA SAÚDE



48 visualizações0 comentário
bottom of page